segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Frases longas (e sem pontuação)

Seguindo a sugestão do meu amigo Ferreira vou agora experimentar escrever uma frase longa e sem pontuação para depois poder escolher qual o meu estilo de escrita pois é deveras importante que uma pessoa saiba qual é o seu registo de escrita para assim poder manter um discurso coerente pois não é nada coerente usar umas vezes frases curtas e outras vezes frase compridas porque depois não se percebe bem o que queremos dizer e quando ficam assuntos mal entendidos é um problema porque é assim que as pessoas menos boas aproveitam para iniciarem boatos relativos à minha pessoa que na sua maioria são sempre mentira à excepção dos boatos bons que são todos verdades.



Para primeira frase comprida, acho que não está nada mal.

Agora estou aqui num pequeno dilema...



Frases Curtas? Ou Frases Longas onde me posso alongar mais na escrita e dizer de uma forma mais concisa aquilo que quero transmitir a quem me está a ler aí desse lado?

4 comentários:

Algodão disse...

Podes sempre optar, por frses curtas ou frases longas, consoante o teu dia. Até pq há dias que temos mais coisas para dizer, e outros não. Mas nunca te esqueças da importância da pontuação, nessas frases longas.

Aqui vai um exemplo: =P

Um homem rico estava muito doente, pediu papel e caneta, e assim escreveu:

"Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres".
Morreu antes de fazer a pontuação. Para quem ele deixava a fortuna?

Eram quatro concorrentes. O sobrinho fez a seguinte pontuação:
"Deixo meus bens à minha irmã? Não, a meu sobrinho.
Jamais será paga a conta do alfaiate.Nada aos pobres."

A irmã chegou em seguida e pontuou assim, o escrito:
"Deixo meus bens à minha irmã, não a meu sobrinho.
Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."

O alfaiate pediu cópia do original e puxou a brasa pra sardinha dele:
"Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate.
Nada aos pobres."

Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:
"Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres."

Joanolax disse...

Curto ou longo, escreve lá qualquer coisinha! =)

EM disse...

E que tal frases médias, com média pontuação?

Pedro Rosário disse...

Ainda ando à procura do meu estilo ;)